Páginas

26 de dezembro de 2015

Hábito de leitura!

“Perguntam-me: o que fazer para criar o hábito de leitura?
Respondo: Nada. Não se deve criar o hábito da leitura. Hábito tem a ver com cortar as unhas, tomar banho… Os hábitos produzem ações automáticas. Um homem pode ter o hábito de dar um beijinho na mulher ao sair de casa estando com o pensamento muito longe dela.
O que há de se fazer é ensinar as crianças a amar os livros…’”.
Rubem Alves in Ostra Feliz não faz Pérola.
www.institutorubemalves.org.br
www.lojarubemalves.com.br - Rubem Alves_Oficial

11 de novembro de 2015

Biblioteca da Escola Secundária da D. João II recebe 3 guineenses em formação nesta área

A Biblioteca da Escola Secundária D. João II recebeu um grupo de três guineenses, que vieram a Portugal fazer formação em Biblioteconomia/Centros de Recursos. Esta visita foi organizada em colaboração com a Professora Doutora Ana Pessoa da Escola Superior de Educação de Setúbal. O grupo visitante está a fazer formação em Portugal, para quando regressarem ao seu país, trabalharem em Bissau, num Centro de Recursos Educativos de uma escola para invisuais. 

Na nossa Biblioteca foi-lhe proporcionada uma visita guiada, durante a qual lhes foi explicado como está organizada e como dinamizamos as diversas áreas da biblioteca. Falamos sobre cartazes, ebooks, organização dos recursos, exposições, os jogos, as atividades a realizar, enfim sobre o nosso dia a dia na Biblioteca.   
Foram inúmeras as questões colocadas. Puderam, ainda, participar numa aula aberta do Curso Vocacional de Informação, Documentação e Comunicação na qual elaboramos cartazes do Mês Internacional das Bibliotecas Escolares, enquanto  como recursos de uma estratégia de marketing.  






27 de outubro de 2015

Cartazes do Mês das Bibliotecas Escolares

Os Cartazes do Mês Internacional das Bibliotecas Escolares (MIBE) elaborados pelos alunos do Curso Vocacional de Informação, Documentação e Comunicação da Escola Secundária D. João II 







12 de outubro de 2015

Sessão para Diretores de Turma do Ensino Básico

A sessão para os Diretores de Turma está agendada para dia 14, quarta-feira, pelas 17 horas na Biblioteca.


Receção Encarregados de Educação na Biblioteca

A Biblioteca Escolar esteve aberta no dia 5 e 6 de outubro, entre as 18.45h e as 20h,para receber os Encarregados de Educação.
Os alunos do Curso de Informação, Documentação e Comunicação receberam os encarregados de educação na Biblioteca explicando-lhe as diferentes valências. 
Agradecemos a visita dos encarregados de educação.


4 de julho de 2015

Alunos da Escola Secundária D. João II ganham o prémio do melhor trabalho, no Concurso “Rato de Biblioteca”

O Concurso "Rato de Biblioteca" é dinamizado, anualmente, pela Fundação Vox Populi. Tem como objetivo divulgar e incentivar o uso dos Estudos de Pesquisa, como instrumento pedagógico para incrementar a literacia, e como forma de aumentar os conhecimentos, a capacidade de interpretação dos mesmos e a tomada de consciência e mudança de atitude dos alunos.

Uma equipa de professores de várias disciplinas, a biblioteca escolar e os alunos da Escola Secundária D. João II, no início do ano letivo 2014/2015, decidiram candidatar-se a este concurso, escolhendo tema a desenvolver "Origem da Traineira do Rio Sado". A escolha recaiu na traineira porque há muitos alunos que têm ou tiveram familiares que se dedicam a esta atividade, utilizando esta embarcação, pelo que mostraram de imediato vontade de explorar este tema. O projeto permitiu que os familiares fossem envolvidos, conduzindo a uma aproximação com a comunidade envolvente.
Por outro lado, são raras as vezes que o tema é trabalhado de forma tão contextualizada e pormenorizada, sendo que este projeto constitui uma boa oportunidade para o fazer.
Durante este processo foram elaboradas entrevistas, recolhidas fotografias, elaborados vídeos, poemas, ebooks, jogos em scratch, e construídas traineiras com materiais reciclados, sendo uma trabalhada com materiais eletrónicos e programados para que algumas partes se movessem e emitissem o som das ondas do mar.
Por fim, foi construído um portal digital, no qual estão disponíveis a maioria dos trabalhos desenvolvido. 

Este trabalho valeu a esta equipa de alunos e professores o prémio do melhor trabalho a concurso, atribuído no encontro nacional de escolas, que decorreu em Ponte de Lima.







Traineira eletrónica com arduino

4 de maio de 2015

Ebook com os Poemas Selecionados no Concurso tem a Palavra a Poesia


Poemas Selecionados no Concurso tem a Palavra a Poesia.
Ebook com os Poemas



Ebook com os Poemas 


Book titled 'Concurso 'Tem a Palavra a Poesia''
Read this free book made on StoryJumper

21 de abril de 2015

Projeto "Leituras d'Ocidente e d'Oriente"


   O Projeto Leituras d’Oriente e d’Ocidente resulta de uma parceria entre o Plano Nacional de Leitura e a Fundação Oriente Museu. As escolas foram convidadas a desenvolverem projetos que levem as crianças e jovens a descobrir textos que traduzam o legado dos portugueses no Oriente e os contributos de civilizações orientais na cultura portuguesa.

   O projeto da nossa escola intitulado "Tento na Língua!" encontra-se entre os projetos selecionados.

   A decoração da Biblioteca no mês de abril de 2015 alude a este projeto.






20 de abril de 2015

Exposição de Trabalhos do Grupo de História - na Biblioteca


    Exposição  de Trabalhos do Grupo Disciplinar de História no âmbito da Semana Cultural

  No âmbito das atividades da Semana Cultural,  realizada em março de 2015, na Escola Secundária D. João II, as professoras Elisabete Isidoro e Susana Nogueira abriram à comunidade escolar a Exposição subordinada ao tema "Personalidades do Renascimento" - "Biografias - porque aprendemos a pesquisar", trabalhos realizados com as  turmas de 8º Ano. Relativamente ao 7º ano de escolaridade, foram expostas maquetes alusivas à arte e religiosidade grega. A exposição estará patente na Biblioteca até ao final do mês de abril de 2015. Os trabalhos, visualmente apelativos, incluem biografias de personalidades da época renascentista e maquetes alusivas à Arte Clássica que marcaram a história civilizacional  do mundo.


















14 de abril de 2015

Encontro com o escritor Nuno Camarneiro


Os alunos do 10º ano, da Escola Secundária D.João II, participaram no "Encontro com o escritor Nuno Camarneiro", no dia 8 de abril. O evento realizou-se no auditório. O  Dr. Ramiro Sousa abriu a sessão com uma referência ao trabalho e percurso do escritor.

17 de março de 2015

Concerto na D.João II


  Os músicos Marco Alonso e Hélder Pereira  tocaram Guitarra Flamenca e Guitarra Electro-acústica num evento realizado no dia 17 de março,  na Biblioteca.O evento foi organizado pela professora Cecília Graça e contou com a presença de professores e alunos da nossa escola.





15 de março de 2015

Mais leituras entre a Poesia e a Ciência

Leitura do poema - Eterna presença, pelos alunos Rodrigo e Andreia do 7ºG

Leitura do poema - Pastoral, pelos alunos Pedro e Alexandre do 7ºG


Leitura do poema - Homem Novo, pelos alunos Gonçalo e Gabriel do 7ºG



Poesia e Ciência: Poema para Galileo

Poema para Galileo
Leitura da Bianca, Camila e Beatriz do 7ºG

Estou olhando o teu retrato, meu velho pisano,
aquele teu retrato que toda a gente conhece,
em que a tua bela cabeça desabrocha e floresce
sobre um modesto cabeção de pano.
Aquele retrato da Galeria dos Ofícios da tua velha Florença.
(Não, não, Galileo! Eu não disse Santo Ofício.
Disse Galeria dos Ofícios.)
Aquele retrato da Galeria dos Ofícios da requintada Florença.

Lembras-te? A Ponte Vecchio, a Loggia, a Piazza della Signoria…
Eu sei… eu sei…
As margens doces do Arno às horas pardas da melancolia.
Ai que saudade, Galileo Galilei!

Olha. Sabes? Lá em Florença
está guardado um dedo da tua mão direita num relicário.
Palavra de honra que está!
As voltas que o mundo dá!
Se calhar até há gente que pensa
que entraste no calendário.

Eu queria agradecer-te, Galileo,
a inteligência das coisas que me deste.
Eu,
e quantos milhões de homens como eu
a quem tu esclareceste,
ia jurar- que disparate, Galileo!
- e jurava a pés juntos e apostava a cabeça
sem a menor hesitação-
que os corpos caem tanto mais depressa
quanto mais pesados são.

Pois não é evidente, Galileo?
Quem acredita que um penedo caia
com a mesma rapidez que um botão de camisa ou que um seixo da praia?
Esta era a inteligência que Deus nos deu.

Estava agora a lembrar-me, Galileo,
daquela cena em que tu estavas sentado num escabelo
e tinhas à tua frente
um friso de homens doutos, hirtos, de toga e de capelo
a olharem-te severamente.
Estavam todos a ralhar contigo,
que parecia impossível que um homem da tua idade
e da tua condição,
se tivesse tornado num perigo
para a Humanidade
e para a Civilização.
Tu, embaraçado e comprometido, em silêncio mordiscavas os lábios,
e percorrias, cheio de piedade,
os rostos impenetráveis daquela fila de sábios.

Teus olhos habituados à observação dos satélites e das estrelas,
desceram lá das suas alturas
e poisaram, como aves aturdidas- parece-me que estou a vê-las -,
nas faces grávidas daquelas reverendíssimas criaturas.
E tu foste dizendo a tudo que sim, que sim senhor, que era tudo tal qual
conforme suas eminências desejavam,
e dirias que o Sol era quadrado e a Lua pentagonal
e que os astros bailavam e entoavam
à meia-noite louvores à harmonia universal.
E juraste que nunca mais repetirias
nem a ti mesmo, na própria intimidade do teu pensamento, livre e calma,
aquelas abomináveis heresias
que ensinavas e descrevias
para eterna perdição da tua alma.
Ai Galileo!
Mal sabem os teus doutos juízes, grandes senhores deste pequeno mundo
que assim mesmo, empertigados nos seus cadeirões de braços,
andavam a correr e a rolar pelos espaços
à razão de trinta quilómetros por segundo.
Tu é que sabias, Galileo Galilei.

Por isso eram teus olhos misericordiosos,
por isso era teu coração cheio de piedade,
piedade pelos homens que não precisam de sofrer, homens ditosos
a quem Deus dispensou de buscar a verdade.
Por isso estoicamente, mansamente,
resististe a todas as torturas,
a todas as angústias, a todos os contratempos,
enquanto eles, do alto incessível das suas alturas,
foram caindo,
caindo,
caindo,
caindo,
caindo sempre,
e sempre,
ininterruptamente,
na razão directa do quadrado dos tempos.

António Gedeão



Poesia e Ciência: Lição sobre a água de António Gedeão

Poema: Lição sobre a água de António Gedeão
Lido pelo Gabriel do 7ºG e pela profª Gracinda

Este líquido é água.
Quando pura
é inodora, insípida e incolor.
Reduzida a vapor,
sob tensão e a alta temperatura,
move os êmbolos das máquinas que, por isso,
se denominam máquinas de vapor.
É um bom dissolvente.
Embora com excepções mas de um modo geral,
dissolve tudo bem, bases e sais.
Congela a zero graus centesimais
e ferve a 100, quando à pressão normal.
Foi neste líquido que numa noite cálida de Verão,
sob um luar gomoso e branco de camélia,
apareceu a boiar o cadáver de Ofélia
com um nenúfar na mão.

Poesia e a Ciência . Lágrima de Preta

Lágrima de preta

Encontrei uma preta
que estava a chorar,
pedi-lhe uma lágrima
para a analisar.
Recolhi a lágrima
com todo o cuidado
num tubo de ensaio
bem esterilizado.
Olhei-a de um lado,
do outro e de frente:
tinha um ar de gota
muito transparente.
Mandei vir os ácidos,
as bases e os sais,
as drogas usadas
em casos que tais.
Ensaiei a frio,
experimentei ao lume,
de todas as vezes
deu-me o que é costume:
Nem sinais de negro,
nem vestígios de ódio.
Água (quase tudo)

e cloreto de sódio.

António  Gedeão


Poesia e a Ciência

As professoras do 7º ano de Português (Gracinda Mateus) e de Físico-química (Ana Lopes e Raquel Cartaxo) resolveram fazer uma mistura química de letras, com sabor a poesia.

Assim, surgiram várias sessões de leitura de poesia com poemas de António Gedeão.



7 de março de 2015

Exposição: Mulheres que marcaram

Exposição: Mulheres que marcaram
A Biblioteca Escolar associou-se à Comemoração do Dia Internacional da Mulher com uma exposição alusiva ao papel marcantes de algumas mulheres.